InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  
Compartilhe | 
 

 Pilotagem defensiva

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3  Seguinte
AutorMensagem
EdsonCBR
Admin


Idade: 35
Mensagens: 486
Localização: Rio Grande do Sul
Moto: CBR600F
Inscrito: 18/08/2007

MensagemAssunto: Pilotagem defensiva   Ter 05 Fev 2008, 22:43

Pilotagem defensiva

-Esta dica foi dada por um piloto de fórmula I, na década de 70.
-na época o problema era o túnel de Mônaco, pouco iluminado.

-em dias de muito sol, quando entramos em um túnel escuro ficamos quase cegos por alguns segundos; mesmo de faróis ligados.

-dica para pessoas em tem os dois olhos normais:

"alguns segundos antes de entrar no túnel feche um dos olhos. Ao entrar no túnel
abra-o e mantenha os dois olhos abertos; sempre com o farol ligado"

-explicação: a "pupila" do olho fechado dilata-se pela ausência da claridade e, como consequência, proporcionará maior visão na área escura dentro do túnel.
-esse procedimento ajuda, e muito nos dias de muito sol.
-o tempo em que devemos manter um olho fechado antes do túnel dependerá da velocidade, idade, claridade etc.
Cada um deverá achar a sua medida. Para começar acho que 5s é suficiente.

-Quem passa no tunel da Mata Fria, Mairiporâ, irá perceber a diferença.

-IMPORTANTE: lembrem-se que usando apenas um olho nós perdemos a noção de distância. Isso é fato indiscutível. Muito Cuidado.


ESTERÇAR

Tambem chamado de contra-esterço. Muitos motociclistas não conhecem este termo ou seu resultado. Esterçar é dobrar o guidom ao contrário do sentido da curva. Parece loucura?! Mas não é! Faça um teste: quando estiver andando em reta numa pista larga, empurre suave e lentamente o guidom para a esquerda, qual será o resultado? A princípio pensaremos que a moto irá para a esquerda, mas não! ela irá para a direita! Este resultado deve-se, para não se alongar, ao deslocamento de centro de gravidade e superficie de contato do pneu no chão pelo efeito "giroscópico" (surge em velocidades superiores a 35 km/h e se torna maior conforme a velocidade, trata-se de um fenomeno físico criado pelo movimento das rodas da moto e que tende a mante-la em pé e linha reta enquanto houver movimento e velocidade). Quando aplicamos isso em uma curva é uma delícia! a moto faz a curva com mais suavidade e leveza sem escapar de frente comum às motos pesadas. Obs: Quanto mais rápido você estiver, maior será o deslocamento, por isso faça com cuidado nas primeiras vezes. Para fazer isso em uma curva, ao começá-la torça suavemente o guidom no sentido contrário da curva e incline o corpo, normalmente como você sempre fez, verá que a moto inclinará mais facilmente para dentro da curva na medida que você esterçar mais, portanto você poderá regular o raio de ação de sua curva esterçando mais ou menos, Se você estiver na curva e quiser levantar a moto que está inclinada, basta diminuir o esterçar para você levantar. Experimente! Mas com cuidado! sua pilotagem vai mudar radicalmente e para melhor!

FREADA: frear deve ser sempre uma atitude de extremo cuidado não importa se você está lento ou rápido. O tipo de solo e a posição da moto (em pé ou inclinada) podem influenciar muito no resultado da freada. Frear um moto não é igual a frear uma bicicleta (freio traseiro), tenha sempre em mente que as leis da física estão presentes e que não adianta você lembrar dos seus tempos de criança quando lhe ensinaram a frear a bicicleta com a roda de trás! A moto é diferente, todo peso desloca para frente impulsionando a moto a permanecer em movimento (inércia dos corpos). Você deve frear 70% com freio dianteiro e 30% com traseiro, tomando o cuidado para não travar a roda. A frenagem deve ser gradual e continua até a moto parar. Freie sempre em pé, evitando frear em curva, pois, com a moto inclinada, a chance de escorregar com a dianteira é grande, se pensar na traseira, esqueça! O resultado é pior! A moto atravessará e chicoteará a traseira impulsionando você para cima (chimada) e o tombo é certo! Reduza se possível pelo motor (freio motor) ajudando com os dois freios suavemente, qualquer movimento brusco com o guidão também poderá derrubá-lo. Prefira sempre frear antes das curvas e não nelas! O freio que pára a moto é o dianteiro!

SINALIZAR A FREADA: Tenha sempre em mente que seu companheiro que vem atrás nunca sabe quando você vai frear até ver sua luz de freio acender, portanto facilite, sempre dê uma ou duas "beliscadas" no freio antes de frear propriamente, isso poderá evitar um acidente!

FAIXA DIVISÓRIA DE PISTA: esta faixa que divide as pistas é sempre em alto relevo por ter uma camada de tinta mais grossa e andar sobre ela às vezes desgoverna a moto, portanto sempre segure firme seu guidão quando estiver sobre ela. Se a pista estiver molhada, o cuidado sobre esta faixa deve ser muito maior, pois esta tinta para brilhar a noite é feita com microesferas de vidro e o vidro molhado é altamente escorregadio. NUNCA TRACIONE a moto sobre estas faixas de marcação de pista. É possível que a moto dispare a rotação da roda traseira e quando passar a faixa ela certamente escorregará demais, causando uma queda!

FAROL NO ESPELHO: Quando você estiver por ultrapassar um veículo, sempre que possível coloque seu farol no espelho retrovisor dele para facilitar a visão do motorista. Na maioria das vezes quando ele lhe vê, dá uma "chegadinha" para a direita e facilita a ultrapassagem, senão for assim, pelo menos ele sabe que você está ali e que logo o ultrapassará.

MANCHAS NO ASFALTO: Tenha sempre atenção com manchas no asfalto, na maioria das vezes pode ser óleo ou consertos que podem estar desnivelados com a pista. Em ambos os casos evite, pois a chance de escorregar é sempre grande. Esteja sempre atento a cheiros fortes, especialmente de combustíveis, o diesel é extremamente escorregadio e às vezes um caminhão pode estar vazando ou tenha tombado na pista, portanto cautela!

CABECEIRA DE PONTES: Sempre que for entrar na cabeceira de uma ponte ou sair dela levante do banco, é normal o desnível e isso pode provocar um salto e o descontrole da moto. Se você estiver de pé nas pedaleiras, o impacto será menor. Outra razão para fazer isso, é proteger sua coluna. O impacto que a suspensão não for capaz de absorver será repassado para seu corpo mais exatamente para a coluna e ao final de algumas horas de viajem você se lembrará desta dica!

BURACOS: Como enfrentá-los? Primeiro evite-os! Quando não for possível, freie o que puder antes dele, NUNCA FREIE NO BURACO! A roda dianteira poderá trancar e catapultá-lo, levante do banco e passe-o. Muitos buracos entortam o aro e quando for pneu sem câmara, poderá esvaziar rapidamente, portanto cuidado! Dica: se você vir um buraco e continuar olhando-o para desviar, certamente passará dentro dele. Assim, olhe mais à frente e desviará facilmente.

ESTERÇAR: Também chamado de contra-esterço. Muitos motociclistas não conhecem este termo ou seu resultado. Esterçar é dobrar o guidão ao contrário do sentido da curva. Parece loucura? Mas não é! Faça um teste: quando estiver andando em reta numa pista larga, empurre suave e lentamente o guidão para a esquerda, qual será o resultado? A princípio pensaremos que a moto irá para a esquerda, mas não! Ela irá para a direita! Este resultado deve-se, para não se alongar, ao deslocamento de centro de gravidade e superfície de contato do pneu no chão pelo efeito "giroscópio" (surge em velocidades superiores a 35 km/h e se torna maior conforme a velocidade, trata-se de um fenômeno físico criado pelo movimento das rodas da moto e que tende a mantê-la em pé e linha reta enquanto houver movimento e velocidade). Quando aplicamos isso em uma curva é uma delícia! A moto faz a curva com mais suavidade e leveza sem escapar de frente comum às motos pesadas.

Obs: Quanto mais rápido você estiver, maior será o deslocamento, por isso faça com cuidado nas primeiras vezes. Para fazer isso em uma curva, ao começá-la, torça suavemente o guidão no sentido contrário da curva e incline o corpo, normalmente como você sempre fez. Verá que a moto inclinará mais facilmente para dentro da curva na medida em que você esterçar mais. Você poderá regular o raio de ação de sua curva esterçando mais ou menos. Se você estiver na curva e quiser levantar a moto que está inclinada, basta diminuir o esterçar para você levantar. Experimente! Mas com cuidado! Sua pilotagem vai mudar radicalmente e para melhor!

Dica para curvas: Ao fazer uma curva, procure olhar mais adiante, pois fará melhor a curva. Experimente! Quanto mais próximo da roda dianteira você olhar, maior será a tendência de sair pela tangente numa curva.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.hondacbrbrasil.com
EdsonCBR
Admin


Idade: 35
Mensagens: 486
Localização: Rio Grande do Sul
Moto: CBR600F
Inscrito: 18/08/2007

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Ter 05 Fev 2008, 22:45

BAGAGEM COM MAIS SEGURANÇA:

Quando o assunto é viagem, a arrumação da bagagem tem dupla importância: a primeira é de ordem pessoal, pois se refere ao tamanho da bagagem, o que realmente importa levar de acordo com o tempo que se planeja ficar fora. A regra é simples: leva-se o que absolutamente necessário, evite exageros, pois quanto menos peso, melhor; A segunda envolve segurança, pois a bagagem deve ser bem distribuída na moto, sem concentração de peso em um só ponto, sob pena de comprometer a pilotagem. Atualmente, existem inúmeras bolsas, alforges, maletas e bauletos próprios para viagens de moto, além de plataformas e bagageiros para sacolas convencionais.

DE CASA PARA A ESTRADA:

MINUTOS CRÍTICOS
Parece incrível, mas é verídico: boa parte dos acidentes com motos acontecem a menos de três minutos de distância do ponto de partida ou de chegada, devido a distrações na pilotagem. Em parte, isso se explica pela excitação no momento da partida ou um certo relaxamento já próximo ao destino. Portanto, dentro de um território conhecido.
Uma das melhores maneiras de concentrar-se é estar plenamente ciente de que “a viagem realmente já começou”. Mesmo que as ruas e avenidas ainda lhe sejam familiares, procure imagina-las como se fossem de uma localidade distante observando toda a movimentação à sua volta constantemente. Dê atenção especial aos cruzamentos e semáforos (ou sinais).
Problemas pessoais ou assuntos pendentes de resolução devem ser esquecidos durante a pilotagem. Procure “desligar-se” desses pensamentos, concentrando-se no caminho que terá pela frente.
Se for necessário, leve mapas ou cópias de guias rodoviários com indicações de entroncamentos rodoviários e entradas e saídas das cidades desconhecidas. Procure mentaliza-los. Mas, se precisar consulta-los durante a viagem, lembre-se de estacionar em local seguro. Geralmente, postos de gasolina são locais apropriados para essas paradas e os funcionários poderão ajudar com informações.
Nos primeiros quilômetros, procure sentir as reações da moto em frenagens, curvas, acelerações, verificando se tudo funciona corretamente. Confira se a bagagem está bem posicionada e se a garupa (se houver) está bem acomodado e seguro. Se alguma anormalidade for notada, corrija antes de iniciar realmente a viagem. Não se arrisque a ter problemas na estrada.

BEM EQUIPADO
Prefira sempre capacete fechado para viajar, que oferece melhor proteção que o capacete aberto. Jaquetas de couro ou tecido resistente, luvas, calças reforçadas e botas de cano longo ou meio-cano são outros equipamentos fundamentais.
Se estiver levando alguém na garupa, é fundamental que esteja tão bem equipado quanto você. Sendo necessário, indique a forma correta de o passageiro acomodar-se na moto, de maneira a ter a postura mais ereta e confortável.
O passageiro deve acomodar-se o mais próximo possível do piloto, segurando-o de forma que as suas duas mãos passem pela cintura. Outra opção é usar as alças que existem na rabeta de algumas motos, para se segurar. Lembre-se que a responsabilidade pela segurança do passageiro é do piloto.
Um erro comum, cometido por “garupas de primeira viagem”, é inclinar o corpo para o lado contrário ao do piloto, como se houvesse uma compensação de equilíbrio. O correto é inclinar o corpo sempre para o mesmo lado que o piloto, acompanhando-o nos movimentos. Isso facilita a pilotagem e melhora o conforto do passageiro.
Mantenha sempre uma postura confortável sobre a moto, mas ao mesmo tempo adequada, para que possa controla-la rapidamente caso surja algum obstáculo ou situação de emergência repentina.
Nas retas o corpo pode ficar relaxado e apoiado sobre o banco, mantendo-se a coluna ereta e as mãos apoiadas levemente sobre o guidão. Nas curvas, o peso do piloto deve ir para as pedaleiras, com o olhar atento a todas as partes do caminho mais à frente, evitando-se olhar fixamente para um único ponto – principalmente os mais próximos.
Procure obter previsões de clima sobre o local de destino. Caso haja previsão de chuva ou frio, deixe em local de fácil acesso equipamentos como o macacão impermeável ou agasalhos. O quanto antes se preparar para o problema, mais seguro se sentirá para pilotar. Mesmo sem previsão de chuva, deixe sempre o macacão à mão.

O RÍTMO CERTO PARA SUA MOTO:

VELOCIDADE DE CRUZEIRO
Assim que entrar na estrada, procure estabelecer uma velocidade de cruzeiro compatível com os limites legais da rodovia, possibilidades de desempenho de sua moto e sua própria habilidade. Nas motos de baixa cilindrada (e algumas de média cilindrada), a velocidade de cruzeiro não deve ser maior que 70% da sua velocidade máxima.
Nas motos maiores e mais potentes, o limite é o do bom senso, com atenção à sinalização de velocidade máxima permitida na rodovia. Qualquer moto acima de 500 CC roda muito bem dentro d faixa de 110 ou 120 km/h, as máximas na maioria das rodovias brasileiras.
Veja, seja visto: esse lema de segurança também vale muito na estrada. A primeira medida é ligar o farol assim que sair de casa. Com o farol ligado, mesmo de dia, a visualização da moto fica muito mais fácil pelos motoristas que vão à frente. Fique atento também a veículos mais rápidos que possam estar se aproximando atrás.
Evite ficar nos ângulos “mortos” de visão – locais onde o motorista não consegue enxergar a moto, como atrás da carroceria de um caminhão, por exemplo. Uma maneira boa de se saber se está ou não no ângulo morto de um veículo é observar se você está vendo a face (região dos olhos) do motorista. Se você não a estiver vendo, cuidado, ele também não pode te ver.
Algumas motos mais potentes, como as superesportivas e esportivas turismo, são capazes de acelerar e atingir grandes velocidades em poucos segundos. Com tal capacidade, as ultrapassagens podem ser feitas com maior segurança utilizando-se espaços menores.
Porém, o piloto deve redobrar seus cuidados ao realizar a manobra, sinalizando com piscas e até com o farol, se necessário, pois os demais motoristas podem não perceber a aproximação rápida demais, mudando de faixa de repente simplesmente por não ver a moto. Nunca ultrapasse pelo acostamento e atenção redobrada, quando houver necessidade de ultrapassagem pela direita em rodovia com mais de uma pista em cada sentido.

DESLOCAMENTO DE AR
Ao ultrapassar grandes veículos, como caminhões e ônibus, por exemplo, tome cuidado com o deslocamento de ar causado por eles e que podem desestabilizar a moto.
Atrás desses veículos, o turbilhão de ar tende a “puxar” a moto para próximo deles (efeito do vácuo). Na parte dianteira, o ar deslocado direciona-se para os lados, tendendo a “empurrar” a moto para a lateral. Para evitar tais incômodos, mantenha uma distância segura dos veículos durante a manobra de ultrapassagem (cinco metros, pelo menos). Muito cuidado com veículos transportando pedras, areia ou cargas soltas ou mal amarradas.
Em estradas simples, de mão dupla, o mesmo efeito do deslocamento de ar poderá também ser causados por grandes veículos que vêm em sentido contrário. Um forte golpe de ar pode atingir a moto lateralmente. Para evitar esse efeito, procure manter-se mais à direita quando perceber a aproximação do caminhão ou ônibus.
Evite andar “colado” aos veículos que seguem à frente, especialmente caminhões e ônibus, que – além de lhe limitarem a visão para os obstáculos da pista, como os buracos, por exemplo – podem frear repentinamente (não esqueça e efeito do vácuo).
Muito cuidado ao entrar em postos de gasolina com calçamento feito em paralelepípedos, cimento, terra ou pedriscos. Muitas vezes, habituado a uma velocidade maior na estrada, o piloto entra no posto mais rápido do que deveria, sem dar conta das condições de aderência. Ao frear para diminuir repentinamente a velocidade, pode derrapar e tomar um tombo “bobo” – mais comum do que se imagina.
Além disso, as chances de uma entrada de posto à beira de estrada ter acúmulo de óleo são muito grandes, pois nele param caminhões.
Caso perceba que irá atravessar uma mancha de óleo, procure manter-se na trajetória, com a moto mais “neutra” possível e “em pé”, acionando a embreagem e evitando tocar nos freios.
Algumas motos, que obrigam a uma posição de pilotagem mais esportiva, podem provocar dores lombares depois de determinado tempo de viagem. Por isso, recomenda-se paradas a cada 100/150 km rodados para descansar. Aproveite para fazer alongamentos na região dorsal, nas pernas e nos braços.

COMO VIAJAR EM GRUPO:

ORGANIZAÇÃO
Atualmente, viajar em grupo está se tornando uma verdadeira mania, graças aos inúmeros encontros de motociclistas que acontecem em quase todas a regiões do Brasil. Organizar as diversas formas de várias motos seguirem juntas, mas com segurança, é fundamental. Veja algumas dicas para todo mundo curtir melhor a viagem.
Procure manter-se a uma distância segura das outras motos (três metros, no mínimo) e sempre dentro do campo de visão do motociclista que vai à frente, evitando ficar exatamente atrás de sua moto, muito próximo ou lateralmente muito afastado (por exemplo: transitando em outra faixa da rodovia), fazendo com que o motociclista à sua frente fique preocupado com seu posicionamento e dificulte qualquer manobra lateral de emergência.
Em rodovias com três ou mais faixas de tráfego, o grupo de motos deve ocupar a faixa da direita, de maneira e ficar no campo de visão uns dos outros: uma à direita, outra à esquerda, e assim sucessivamente.
Em rodovias de mão dupla ou de duas faixas de rodagem, o grupo de motos deve se posicionar em fila indiana.
Num grupo muito numeroso, é conveniente separar as motos em subgrupos de cinco motos no máximo. Cada subgrupo poderá ficar distanciado dos demais em até 500 metros.
Nas ultrapassagens, o grupo deve manter seu posicionamento, aguardando que, uma a uma, cada moto realize a manobra com segurança.
Quando dois ou mais motociclistas viajam juntos é interessante utilizar gestos e sinais padronizados para se comunicarem de maneira rápida e precisa. Cabe ao piloto da primeira moto alertar sobre os obstáculos e indicar o caminho a ser seguido pelos demais. É dele a tarefa mais complicada, que exige responsabilidade e atenção redobrada.
Com o tempo os integrantes de um grupo de motos vão se conhecendo melhor e até mesmo um balançar de cabeça poderá ser interpretado como mensagem pelo colega ao lado.

LINGUAGEM DOS SINAIS
Alguns sinais, entretanto, são básicos. Usados por batedores e motociclistas militares, podem ser entendidos por todos. O sinal deve ser preferencialmente feito com a mão esquerda – que é a mais livre durante a pilotagem – e repetido por todos os pilotos do grupo, passando-o dessa forma de moto em moto até o último da fila.
Apontar com a mão direita para baixo, para um objeto ou ponto no solo: buraco, lombada, óleo ou outro tipo de obstáculo, reduza a velocidade e procure desviar, se possível.
A mão e o braço esticado sobem e descem sucessivamente: perigo, reduzir a velocidade.
Mão e braço balançando para trás e para frente, como um remo: o grupo está muito disperso, os mais atrás devem acelerar para se aproximar um pouco mais.
Braço esquerdo apontado para a esquerda: atenção, reduzir para entrar à esquerda – o piloto deve sinalizar com o braço e acionar o pisca esquerdo, em seguida.
Braço esquerdo dobrado sobre o capacete com a mão apontando para a direita: atenção, reduzir para entrar à direita.
Mão esquerda apontando para cima e realizando círculos no ar: atenção, o grupo deve retornar – quando o grupo está parado, também pode significar acionar os motores para a partida.
Mão esquerda apontada para cima e espalmada: atenção, situação de emergência à frente, exigindo cautela e a redução de velocidade.
Apontar para o tanque de combustível e logo em seguida simular uma degola de garganta com a mão esquerda: a moto entrou na reserva de combustível, indicando que aquele piloto necessita parar para abastecimento.
A sinalização de parada ou de conversão à direita, esquerda e retorno, também pode ser seguida de um número de um cinco feito com os dedos da mão para indicar a quantos quilômetros à frente a manobra deverá ser executada.

AS CONDIÇÕES MAIS DIFÍCEIS:

CHUVA
A chuva é o maior inconveniente nas viagens de moto. Se isso acontecer à noite, então, a dica é não seguir viagem – a não ser que a estrada seja plenamente segura, você esteja bem protegido e faltar pouco para o local de destino. Do contrário, procure um lugar para dormir.
Veículos trafegando em sentido contrário, com o pára-brisa molhado, são o melhor aviso de que a chuva à frente. Comece a preparar-se para enfrenta-la. Não deixe pra vestir seu macacão impermeável somente no momento em que “encontra-la”.
Assim que a chuva começar, pare e espere que molhe a pista, lavando todos os detritos de óleo e areia que possam existir.
Sob a chuva, reduza a velocidade e passe a frear com maior sensibilidade e menos potência. Se pressentir o início de travamento de uma das rodas, “alivie” o freio, voltando a aciona-lo até concluir a manobra.
Trafegar em pista molhada exige muito cuidado. Por exemplo: a distância de frenagem chega a ser 50% superior ao que seria necessário em pista seca. Adote uma postura defensiva e antecipe-se a situações de fisco freando antes do que seria o normal.
O “spray” de água e detritos, levantados pelos pneus dos outros veículos, suja a viseira do capacete. Tenha sempre pedaços de papel absorvente ou papel higiênico que limpa sem riscar.
A chuva pode penetrar na bagagem e molhar as roupas. Para evitar isso, coloque sempre suas roupas (e também objetos) dentro de sacos plásticos antes de acomoda-los na bolsa ou alforge.

NOITE
Viajar a noite não é o mais recomendável. Tudo fica mais difícil, desde um abastecimento a até um socorro mecânico. A atenção deve ser redobrada e nem sempre é possível enxergar “armadilhas” como buracos e manchas de óleo. Mas se for inevitável, viaje descansado, pois o cansaço, principalmente à noite, pode ser muito perigoso.
Nunca saia à noite sem que farol, piscas e lanternas estejam em perfeitas condições. O farol (ou faróis) deve ser regulado caso você esteja com garupa e bagagem, pois com mais peso, a moto fica mais baixa e o facho de luz sai do ajuste ideal.
Procure ter a viseira do capacete em perfeitas condições. Viseira suja e muita riscada acaba criando distorções e reflexos inconvenientes com a luz vinda dos outros veículos. Isso limita a capacidade de visão.
Procure fazer com que as paradas para descanso sejam em postos de gasolina ou outros lugares seguros e bem iluminados. Evitem paradas nos acostamentos das estradas.
Sendo preciso parar no acostamento à noite, procure afastar-se o máximo possível da pista. Para ser visto pelos demais veículos, mantenha a lanterna ligada e os pisca-piscas sinalizando alerta.

FRIO
O frio pode se tornar um grave problema se for preciso enfrenta-lo por horas seguidas. A baixa temperatura pode causar a hipotermia em mãos e pés, ou seja, o “congelamento” desses pontos, com perda da sensibilidade e da movimentação – o que pode ser muito perigoso.
Para proteger-se, o ideal é usar sob as luvas de couro, luvas de tecidos, ou, por cima das luvas de couro, luvas cirúrgicas de borracha para impermeabilizar. Nos pés, meias e uma proteção com plástico por dentro da bota para evitar a umidade.
Em cima da moto, a temperatura “sentida” pode chegar a ser de até cinco graus centígrados menor do que a temperatura ambiente. Por isso, agasalhe-se prevendo essa diferença de temperatura.
A respiração, no frio, pode causar o embaçamento da viseira. Nesse caso, a dica é passar a respiração pela boca, direcionando o ar para a parte inferior do capacete.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.hondacbrbrasil.com
EdsonCBR
Admin


Idade: 35
Mensagens: 486
Localização: Rio Grande do Sul
Moto: CBR600F
Inscrito: 18/08/2007

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Ter 05 Fev 2008, 22:46

DEZ MANDAMENTOS PARA UMA BOA VIAGEM:

1.Faça uma boa revisão mecânica e elétrica na sua moto antes de viajar.
2.Tenha sempre consciência de seus limites e dos limites da moto.
3.Procure descansar antes de uma viagem.
4.Não exagere na bagagem e arrume-a de forma organizada na moto.
5.Não consuma bebidas alcoólicas antes de sair para viajar e nem durante a viagem.
6.Não prossiga se estiver se sentindo cansado.
7.Façam paradas para descanso, respeitando a sua resistência física.
8.Não se alimente com comidas pesadas durante a viagem.
9.Só viaje a noite se as condições da moto e da estrada permitirem.
10.Evite mostrar que você é “o melhor, o mais rápido, o mais tudo” durante uma viagem em grupo, seja o mais inteligente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.hondacbrbrasil.com
oklahoma



Idade: 37
Mensagens: 1782
Localização: ssp
Moto: a minha
Inscrito: 01/08/2008

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Seg 27 Out 2008, 09:41

show as dicassssss!!!!!!!

valeu mesmo!!


abraço.
Voltar ao Topo Ir em baixo
bruno-sivini



Idade: 32
Mensagens: 1267
Localização: João Pessoa - Paraíba
Moto: CBR 600 RR / 2007
Inscrito: 16/05/2008

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Seg 27 Out 2008, 10:21

Essa do esterço eu n sabia q existia... vou tentar fazer próxima viagem dia 14/11 hihihihihi
Voltar ao Topo Ir em baixo
agaelema



Idade: 27
Mensagens: 594
Localização: Bauru
Moto: Honda CBR450 89
Inscrito: 05/08/2008

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Seg 27 Out 2008, 12:30

Eu ja li varias vezes sobre isso de "esterço" ou "contra-esterço" e nao consigo entender.

Será que alguem tem algum vídeo que mostre isso na prática, pq ai fica mais simples entender!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.studiomusicplug.com
mapos



Idade: 58
Mensagens: 4
Localização: RJ
Moto: CBR600 RR
Inscrito: 05/10/2008

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Qui 06 Nov 2008, 19:36

Sinceramente ainda naum entendí esse "Esterço"
Voltar ao Topo Ir em baixo
joão paulo
Moderador


Idade: 31
Mensagens: 3272
Localização: Lua....
Moto: PAngaré, 100km com 1 L de água!!!LOL
Inscrito: 31/12/2007

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Qui 06 Nov 2008, 20:49

mapos escreveu:
Sinceramente ainda naum entendí esse "Esterço"

faz um teste amigo..mas em uma curva aberta emm.e com pouca velocidade..uns 100km/h
a curva é para direita e vc vem de boa no entanto ponha o guidon levemente para a esquerda a moto vai se deslocar para dentro da curva..é isso.bomm é isso que faço..tente mas vai devagar para vc ver como é..logo estará fazendo sem ver...valeuu

_________________
ANTES DE ABRIR UM NOVO TÓPICO USE A FERRAMENTA{[b]BUSCAR}DO FÓRUM,POIS PODE JÁ TER ALGO REFERENTE A SUA DÚVIDA!!![/b]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Calvi



Idade: 29
Mensagens: 897
Localização: Rio de Janeiro
Moto: A pé...
Inscrito: 27/10/2008

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Sex 07 Nov 2008, 08:14

colocar o guidon levemente para esquerda em que momento? dentro da curva, antes, tb estou sem entender...

As dicas da linguagem dos sinais é uma boa, mas tb precisa ser repassada para o grupo antes da saida, pq muitos nao conhecem.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Bernardo



Idade: 29
Mensagens: 210
Localização: Piracicaba - São Paulo
Inscrito: 04/11/2008

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Sex 07 Nov 2008, 08:39

kra quando tive rum pouco mais de tempo vou ler tudo, muito interessante. valeu
Voltar ao Topo Ir em baixo
joão paulo
Moderador


Idade: 31
Mensagens: 3272
Localização: Lua....
Moto: PAngaré, 100km com 1 L de água!!!LOL
Inscrito: 31/12/2007

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Sex 07 Nov 2008, 08:44

Calvi escreveu:
colocar o guidon levemente para esquerda em que momento? dentro da curva, antes, tb estou sem entender...

As dicas da linguagem dos sinais é uma boa, mas tb precisa ser repassada para o grupo antes da saida, pq muitos nao conhecem.

coloque o guidon levemente ao contrario da curva..pode ser dentro da curva..mas quando vc for fazer isso não esteja muito perto do acostamento pois a moto ira se dirijir para dentro da curva..então faz isso perto da faixa assim da tempo de corrigir..isso não é complicado de fazer basta ir com calma que vc logo pega as manhas..eu uso isso de boa..e com a patrica vc vai por mais força no guidon e ela deita mesmo..mas va com calma..ok:icon_legal

_________________
ANTES DE ABRIR UM NOVO TÓPICO USE A FERRAMENTA{[b]BUSCAR}DO FÓRUM,POIS PODE JÁ TER ALGO REFERENTE A SUA DÚVIDA!!![/b]
Voltar ao Topo Ir em baixo
agaelema



Idade: 27
Mensagens: 594
Localização: Bauru
Moto: Honda CBR450 89
Inscrito: 05/08/2008

MensagemAssunto: Re: Pilotagem defensiva   Sex 07 Nov 2008, 11:09

Se tivesse um video mostrando isso seria mais facil de entender!!!
hehhe
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.studiomusicplug.com
 

Pilotagem defensiva

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 3Ir à página : 1, 2, 3  Seguinte

 Tópicos similares

-
» Videos e tecnicas de pilotagem
» TÉCNICAS DE PILOTAGEM / SETUP DE CARROS DE CORRIDA
» Pilotagem defensiva - novas dicas
» Pilotagem defensiva
» pilotagem defensiva salva vidas

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
HONDA CBR BRASIL - www.hondacbrbrasil.com ::  :: -